Porque nem todo mundo nasce com vocação pra alguma coisa. Agora eu tenho a Lis!

quarta-feira, 28 de setembro de 2016

A hora da escolinha!

Quando eu tinha 16 anos dizia que filho meu iria pra escolinha com 6 meses pois "desenvolvia", imatura do tipo que dava pitaco em coisas que nem sabia nada sobre..daí engravidei e passei a concordar com a ideia de colocá-la somente com 3 anos. Depois que nasceu, tivemos a opção de mantê-la em casa até agora, com um esquema logístico que envolvia pai, avós, eu, dinda..mas não são só as teorias e opiniões pessoais que influenciam né? Ficou pesado manter o esquema, afinal de contas não sobra mais tempo pra ninguém. Além disso, começamos a sentir a necessidade que partia dela, Lis AMA brincar com outras crianças, seriam outros brinquedos, outro ambiente, senti que ela andava bastante entediada dentro de casa, por mais que a gente brinque na rua. Com 10 meses ela começou a frequentar algumas horas 2 manhãs por semana, mas agora, depois de muiiiiita conversa com amigas, mães e pedagogas resolvemos colocá-la todos os dias meio-período. E eu, que voltei a trabalhar amarradona por estar cansada da rotina de ficar em casa o dia todo com um bebê, me vi apavorada. Decidir a escolinha foi difícil, encuquei com milhares de coisas até notar que o problema era eu, que não queria que ela fosse. Nenhuma escolinha vai unir todos os desejos nossos, não adianta. Como imaginar deixar meu bebê nas mãos de outra pessoa que não tem vínculo nenhum? Como não poder ligar a cada hora pra saber se já comeu, se tá bem, se dormiu? Como acreditar que terão paciência com ela se às vezes eu mesma, que amo e sou a mãe, também a perco? E se maltratarem ela? Basta uma única vez pra criar um trauma não é? Brinco que prefiro uma mordida de outra criança do que um arranhão, dentinhos de bebê a gente reconhece. Enfim, dúvidas e dores maternas. Ontem ela começou então, como se fosse o primeiro dia, e desta vez quem levou fui eu, não o pai como acontecia antes. Em 4 meses, ela apenas chorou alguns minutos em 2 dias. Ontem? Se jogou no colo da professora e me deu tchau, mostrando pra mim que eles são muito mais maduros do que nós pais em muitos momentos! Valeu a pena confiar no que diziam nossos instintos, e na frase que uma amiga linda me disse: Tai, ela também precisa do tempo e espaço dela! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário