Porque nem todo mundo nasce com vocação pra alguma coisa. Agora eu tenho a Lis!

segunda-feira, 9 de maio de 2016

Quando o amor vai surgir?

Então você pariu um bebê lindo, saudável, a família tá feliz, todo mundo acha que você está radiante e tudo que você tem vontade é de chorar e colocar o bebê de volta na barriga. Aí você vê esse tipo de foto e pensa: por que eu não me sinto feliz e radiante como ela demonstra estar na foto? Deixa eu te confessar: até a Lis fazer 6 ou 7 meses eu também achava essas fotos a maior mentira. Não é que eu não estivesse feliz, fazendo dancinha da vitória ou amando ela. Eu simplesmente ainda não estava adaptada ao ponto de me sentir plena na maternidade. Essa paixão avassaladora pela minha bebê levou muito tempo pra surgir. Eu sempre a amei, mas a explosão de amor faz pouco tempo que apareceu. Assim como quando eu casei, no primeiro ano eu via fotos de casais felizes e pensava em voltar correndo pra casa da minha mãe, o primeiro ano de vida de um bebê acredito que seja o mais difícil. Depois tudo vira paixão, tudo melhora, tudo fica mais fácil! Fotos nem sempre representam a realidade, não se culpe. Ontem foi o primeiro dia das mães com minha amada nos braços, dois anos depois do ataque de fofura do meu marido querendo um filho. Agora posso dizer: é um amor que não cabe no peito, que dói na alma. Mas que pode sim demorar a aparecer. E se no meio dessa loucura toda você me perguntar se eu quero mais filhos, eu te respondo que sim: quantos mais a vida quiser me dar, meu corpo aguentar, meu marido topar e meus slings puderem carregar!


Nenhum comentário:

Postar um comentário